sexta-feira, 4 de outubro de 2013

REDE RS quer Marina candita a presidente.

Integrantes da Rede Sustentabilidade do RS reunidos em Canoas estão em sua maioria convencidos que Marina Silva sempre traz um questionamento importante para que uma nova forma de fazer política tenha espaço no Brasil.

A reunião ainda esta curso e é a leitura que faço diante das falas da maioria presente.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

A REDE Sustentabilidade esta chegando!



Rede registra primeiro diretório estadual, no Rio Grande do Sul
Por Paulo Gama
São Paulo

A Rede Sustentabilidade, partido que a ex-senadora Marina Silva trabalha para criar, conseguiu nesta quinta-feira (22) o registro de seu primeiro diretório estadual, no Rio Grande do Sul.

Para ser oficializado, o partido precisa de registros em ao menos outros oito Estados. A Rede já deu entrada no pedido em 14 tribunais regionais.

Além dos registros nos Estados, o grupo precisa também validar 492 mil assinaturas de apoio. Segundo o último balanço divulgado pela sigla, na semana passada, cerca de 250 mil fichas haviam sido certificadas.

No total, a Rede já pediu a certificação de 630 mil assinaturas aos cartórios eleitorais.

No Rio Grande do Sul, o partido conseguiu certificar 20 mil assinaturas. Segundo uma das coordenadoras da coleta, Gisele Uequed, outras 16 mil fichas aguardam análise nos cartórios.

Marina corre contra o tempo para fundar a Rede. Para que ela possa concorrer à Presidência pelo partido em 2014, a sigla precisa estar registrada até o início de outubro -- um ano antes do pleito.

Como comparação, o PSD --formado por Gilberto Kassab em 2011-- conseguiu seu primeiro registro estadual em 17 de agosto e foi formalizado uma semana antes do final do prazo para disputar as eleições de 2012.

Marina e outros dirigentes da Rede têm criticado a demora da Justiça Eleitoral na análise das assinaturas --legalmente, os cartórios têm 15 dias para analisar as fichas, mas o prazo não vem sendo cumprido em todas as unidades.

Por isso, na última semana, o partido decidiu requisitar o registro nacional ao Tribunal Superior Eleitoral mesmo antes de todas as assinaturas serem validadas pelos órgãos, apresentando apenas o protocolo de que as fichas foram enviadas aos cartórios.

Fonte: Folha Online

terça-feira, 14 de maio de 2013

Roberto Winkler deve ser o novo presidente do PV/RS




Roberto Winkler deve ser o novo presidente do PV/RS
A confirmar-se a homologação pelo presidente nacional do Partido Verde, José Luiz de França Penna, Roberto Rachelle Winkler, ex-vice presidente do PV/RS e ex-presidente do PV/Novo Hamburgo, será o novo presidente da Executiva Estadual do Partido Verde.
Em reunião realizada ontem, 13 de maio, à noite, na Sala Alberto Pasqualini da Assembleia Legislativa, foi ratificado o apoio a seu nome pelos 23 presidentes ou vice-presidentes de executivas municipais presentes e por um vereador eleito, enquanto outras 16 executivas, que não puderam estar representadas, enviaram-lhe moções de apoio por e-mail.
Nas últimas semanas, haviam sido apresentadas à Executiva Nacional duas nominatas, uma encabeçada por Winkler e outra pelo vereador Márcio Souza, de Gravataí, os quais se reuniram, na sexta-feira, dia 10, e aceitaram elaborar uma nominata de consenso, de acordo com instruções do presidente Penna, não tendo, porém, ficado definido qual dos dois a encabeçaria.
O grupo que apóia Winkler organizou a reunião de ontem — a 13ª promovida, nos dois últimos meses, em diferentes regiões do Estado, para tratar da composição da nominata a ser submetida à apreciação da Executiva Nacional —, mas o vereador Márcio Souza, embora convidado, não compareceu.

Sônia Zanchetta 

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

O século chinês?

                   
O Fórum Econômico Mundial, em Davos, incluiu na pauta os extraterrestres e as “oportunidades de investimentos” em outros planetas. Esse fórum não é assunto para o “povão” e assim os humoristas populares não vão aproveitar a “deixa” de que os maiores poluidores deste planeta, protagonistas em Davos, agora querem “investir” noutros. Mais sério que este foi um debate realizado no Canadá em 2011 e agora lançado em livro, “O século XXI pertence à China?”. Dois “experts” internacionais de cada lado desfilaram seus argumentos, a favor e contra a hipótese de que a China conquistará a hegemonia econômica mundial.

“O século XXI será da China pelo declínio de uma América obesa, dependente de dinheiro emprestado e sexualizada demais”, polemizou Niall Ferguson. Não se trata de um ponto de vista moralista, mas sim de um professor de Administração de Empresas na Harvard Business School e editor do Financial Times. Contra a hipótese da hegemonia chinesa falou Fareed Zakaria, editor da revista Time: “A China ainda não solucionou um problema básico, o que fazer quando surgir uma classe média e como o governo responderá às aspirações desse grupo de pessoas. Quando a Coréia do Sul passou por isso, houve uma transição para a democracia e essas transições não são períodos fáceis”.

Você não precisa trabalhar na indústria do calçado no Vale dos Sinos nem ter uma lojinha de 1,99 para saber que tudo que acontece lá nos afeta direta ou indiretamente. Trata-se de concorrência desleal, baseada em trabalho escravo? De uma sociedade tipo “espartana” (em contraste com os valores “atenienses” ocidentais) em que o Estado é mais importante que os seus cidadãos? “No nosso modelo – em comparação com o modelo dos Estados Unidos e de outras nações ocidentais – o bem-estar e a estabilidade social são mais importantes do que a mera liberdade individual”, argumentou o chinês David Li, membro do Comitê de Política Monetária do Banco Central de China.

As relações entre as potências mudaram nos anos 70, o que colocou Nixon na História, por menos que você goste dele. David Li descreve o pragmatismo oriental do processo de Reforma e Abertura, revelando que “Deng Xiaoping anunciou: 'Nada de debates. Vá lá e faça'. Deng Xiaoping não seria muito fã de debates como esse aqui. Talvez pudesse ser fã da Nike, 'Just do it'...”. O principal articulador desta aproximação foi o secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger, autor de “On China” (“Sobre a China”). Grande admirador do país, ele é no entanto um cético quanto à hegemonia chinesa: “Eu diria que a China estará ocupada com enormes problemas internos e com seu entorno imediato durante esse século”.

Todas informações sobre a sociedade chinesa convergem em que aumentam as reivindicações de trabalhadores, pressionando por melhores salários e condições de trabalho, em busca de qualidade de vida, o que encarecerá também seus produtos. Esse processo pode levar décadas, é claro, e até lá muitas indústrias daqui já terão sucumbido à concorrência chinesa. Aspecto interessante é o que isso gera não só em nós, à distância, mas na própria vizinhança, como descreve Fareed Zakaria: “As pessoas gostam de falar sobre a ascensão da Ásia. Eu fui criado na Índia Não existe esse negócio de Ásia. Os países não gostam muito uns dos outros. A ascensão da China provocará uma reação enérgica na Índia, no Japão, na Indonésia, no Vietnã e na Coréia do Sul. Já começamos a ver sinais disso”. Pelo pluralismo, que assim seja.

  Montserrat Martins

PV RS planejamento estratégico para 2014




O Partido Verde realizou nesta quinta feira (10/01), a partir das 10 horas, em Porto Alegre, o Seminário: Planejamento e Expansão PV.RS. Verdes de toda região e membros da Executiva Nacional irão se reuniram para pensar em formas e ações a serem realizadas pela executiva estadual e diretórios regionais, visando às próximas eleições, no intuito de aumentar a representatividade do PV no Estado.
Hoje o PV-RS possui 08 vereadores. O estado possui 497 municípios, sendo estes divididos em 35 Microrregiões e em 7 Mesorregiões. O PV está representado em mais de 60% destas.
O encontro que ocorreu no Hotel Continental Business, Centro Histórico da capital durante todo o dia. A presidente Estadual do PV-RS, Marivaine Alencastro falou sobre o projeto de expansão do PV no Estado, multiplicação das executivas, lideranças e estratégias políticas para eleições de deputados federais e estaduais.
Logo após, o Secretário Nacional Formação Política do PV, José Paulo Toffano falou sobre os projetos de formação política da Fundação Verde Herbert Daniel.
Ainda seguindo a programação, o consultor técnico Dr. Eduardo Dias explicou os aspectos técnicos do projeto de organização e planejamento para a expansão visando os cargos de deputados estaduais e federais.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

PV do RS alerta a sociedade para ser vigilante a movimentos na Assembléia Legislativa do RS quanto ao uso de agrotóxicos.


A recorrente matéria sobre o uso de agrotóxicos no RS permeia perigosamente a Assembléia legislativa do RS.
O Partido Verde do RS através de seus dirigentes Marivaine Alencastro e Marco Santos Mikonga solicitam a sociedade que se mantenha alerta aos debates sobre o uso de agrotóxicos. O Brasil já utiliza em demasia venenos nos alimentos com consumo médio ao ano de 5,2 litros por habitante.Nosso país já é um dos maiores consumidores de agrotóxicos do mundo e o lobby das industrias produtoras dos mesmos sobre os políticos devem ser fiscalizados. O PV associa a saúde com alimento livre de agrotóxicos nocivos as pessoas e animais. Convidamos os integrantes do PV para participarem da audiência pública sobre o tema conforme convite do deputado estadual Ernani Polo,Presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo.
Audiência Pública que ocorrerá em 03 de dezembro, segunda-feira, às 14h na Sala João Neves da Fontoura – Plenarinho, 3º andar do Palácio Farroupilha, que debaterá a Lei n.º 7.747, de 22 de dezembro de 1982, que dispõe sobre o controle de agrotóxicos e outros biocidas a nível estadual, e dá outras providências.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

A Odisseia dos Verdes no Estado do RS



               Encerrada a contenda eleitoral neste segundo turno, nosso Estado a exemplo do país, apresenta a sua população os candidatos vitoriosos que irão dirigir suas comunidades nos próximos quatro anos.
                   Mais uma vez nossa Justiça Eleitoral deu uma demonstração ao PLANETA de sua competência, lisura e imparcialidade, foi na verdade uma aula de civismo.
                   Os Partidos Políticos, uns mais consistentes outros de menor expressão, participaram ativamente de todo este processo, não poderia deixar de ser com o Partido Verde o qual nesta eleição deu um salto de qualidade em nosso Estado, passando de três vereadores para oito novos edis e um Prefeito Municipal (Paulo Bento-RS). No Brasil tínhamos setenta e cinco (75) chefes de Executivos Municipais, e passamos para noventa e seis (96), portanto em um universo de vinte e seis (26) partidos que elegeram Prefeitos Municipais no País, o Partido Verde ficou na 12ª colocação, havendo, portanto um crescimento de mais de 20% (vinte por cento).
                   O PV em Porto Alegre, não foi feliz em sua plenitude com o resultado obtido, não nos cabe debitar a quem quer que seja das razões do insucesso eleitoral, cabe, pois a referida agremiação um sério exame sobre as razões do ocorrido, será que foi pela aliança com a Majoritária? Ou com a Proporcional? Ou mesmo com o direcionamento do voto a um único candidato, colocando os demais como simples coadjuvantes, ou talvez pela inesperada destituição do Ex-Presidente Carminatte e sua Diretoria? Cabe pois, uma profunda reflexão.
                   Muito embora o esforço descomunal da Executiva Municipal de Porto Alegre, e sua Coordenadoria, não obtiveram êxito em suas pretensões a qual seria de eleger um Vereador para a Câmara Municipal da Capital, pois se isto não ocorreu todos os “verdes” tem culpa em cartório, faltou, pois mais questionamentos e transparência nas ações.
                   Temos por dever de ofício num primeiro momento cumprimentar a Executiva Nacional do Partido Verde, da mesma forma a Direção Estadual e todas as Executivas Municipais do Rio Grande os quais deram tudo de si para chegarem ao Podium, mas a nível estadual temos que nos curvar ao denodo e competência do Diretório Municipal de Gravataí, o qual se fez valer elegendo dois vereadores para aquela Câmara.
                   Nesta última eleição os candidatos a Prefeitura Municipal de nossa Capital e até Vereadores elegeram o “meio ambiente” como “glamour” de suas campanhas, foi na verdade uma apoteose falar em “sustentabilidade”, todos, em constantes programas, falaram e falaram sobre os cuidados para com a natureza, houve candidatos que até conseguiram gravar vídeos com a Ex-PT, Ex-Senadora, Ex-Ministra do Meio a Ambiente, Ex-Candidata a Presidente de República e Ex-PV, mas tudo foi em vão, valeu a intenção, mas não surtiu o efeito desejado, de vez que faltou credibilidade política a Dona Marina.
                   A nosso modo de ver o Partido Verde deverá reunir-se com urgência ao menos duas vezes por ano e a partir do próximo exercício proporcionar três encontros a nível estadual para ABRIL, JUNHO E AGOSTO, NOS ÚLTIMOS SÁBADOS DE CADA MÊS, a fim de preparar a nominata para o embate de 2014, bem como trocar ideias e promover ações concretas para que as vitorias conquistadas no Estado, sejam na verdade uma mola propulsora para as eleições que estarão logo ali, daí sim, com candidatura própria para a Eleição Majoritária (Governo e Senado), e nominata completa para as proporcionais, tanto para a Câmara dos Deputados como para Assembleia Legislativa.
                   Para os Verdes do Rio Grande, a bandeira que deverá tremular por todos os cantos de nosso Estado estará voltada para a proibição do uso indevido de agrotóxicos altamente poluentes e nocivos em lavouras e pomares, cuidados especiais para com os animais domésticos e não domesticados, aproveitamento do lixo em sua plenitude, criando em cada município a Secretaria Municipal do Meio Ambiente, muita atenção para o desmatamento e assoreamento dos rios, implantação de mais torres para produção de energia eólica, equilíbrio e responsabilidade para o uso doméstico e industrial da água, consumo de combustível limpo para movimentação de máquinas e motores, diminuindo o alto índice de poluição, ampliação do Catamarã para o transporte de passageiros em diversos pontos da zona sul de nossa Capital, o que desafogaria este trânsito maluco, agilizar a construção e a trafegabilidade do aeromóvel, aumentar a  implantação das ciclovias, observando sempre locais adequados para o uso de bicicletas, e tantas outras ações que possam contribuir para que nosso Estado ofereça um exemplo ao Brasil dos cuidados reais para com sua sustentabilidade.
                   E a descriminalização da maconha para fins medicinais, notícia tão propalada por toda a imprensa nacional, sendo uma proposta desposada pelo Ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso, vamos deixar de lado a hipocrisia, que se enfrente o problema, sem sobressaltos e com muita discussão fundamentalmente no meio científico nacional.
                   E a implantação de USINAS DE PRODUÇÃO DE ÁLCOOL combustível, em regiões onde o zoneamento agrícola proporcione condições para o cultivo deste gramínea (cana de açúcar), traria mão de obra, desenvolvimento sustentável, e uma infinidade de possibilidade de uso de seus subprodutos oriundos da mesma.
                   A semente esta plantada, esperamos uma germinação sadia, forte e cheia de projetos voltados para os cuidados que o ser humano deve ter para com o “Meio Ambiente”.

José Delmar Siveira de Araujo
Vice-Presidente do DM/PV/POA/RS
Cel: 051 9218.6446


quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Prefeito e Vereadores eleitos do PV no RS em 2012




Paulo Bento - prefeito Pedro Lorenzi
                       vereador Selvino Giareton

Cachoeirinha - vereador Felisberto Xavier Espíndola Neto  

Gravataí - vereador Márcio Marcio Souza
                 vereador Gerson Rovisco

Imbé - vereador Osmar Luiz Oliveira da Silva

Nova Prata - vereador João Rainelli    

Veranópolis - vereador Vladiz Scorsatto

Viamão - vereador Anderson Lima (Zé do PV)


Sônia Zanchetta

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Inaugurada Bancada do PV de Porto Alegre



Foi inaugurada, no dia 26 de setembro, a bancada do Partido Verde na Câmara Municipal de Porto Alegre. A presidente da Executiva Estadual do PV, Marivaine Alencastro, enfatizou a importância do trabalho realizado pelo  vereador Elias Vidal, presidente do PV Porto Alegre, para a conquista daquele espaço, e afirmou que se tratava de um marco na história do partido, pois esta é a primeira vez que conta com uma bancada na Casa. O vereador Elias Vidal relatou os esforços que vêm sendo empreendidos para o fortalecimento do PV em Porto Alegre e para potencializar a candidatura dos verdes à Câmara de Vereadores. Participaram da solenidade vários membros da Executiva Estadual e de executivas municipais

domingo, 1 de julho de 2012

PV de Campo Bom oficializou apoio a Dra. Suzana Pereira.





A convenção do Partido Verde de Campo Bom neste dia 30 de Junho confirmou o apoio a Dra. Suzana Ambros Pereira do ( PT ) que contará com Luciano Orsi como seu candidato a vice. A pré-candidata a prefeita participou da convenção do PV e disse da importância do PV na construção do sonho que é administrar Campo Bom com o olhar da sustentabilidade. O compromisso firmado prevê uma compensação ao PV em termos de espaço político no futuro governo em virtude do apoio.O PV apostará nos nomes do professor Carlos Ramos e o Publicitário Marco Santos o Mikonga como seus pré-candidatos a vereadores para dar sustentabilidade ao futuro governo da Dra. Suzana.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Seminário Cidades Sustentáveis: o Desafio do Século XXI



Data: Domingo, 1º de julho
Local:  Auditório Ana Terra da Câmara de Vereadores de Porto Alegre
Público-alvo: membros das executivas municipais, pré-candidatos, outros filiados e simpatizantes do PV      

Objetivo geral:
·   Promover a mobilização e a sensibilização dos diversos segmentos da sociedade na construção de cidades sustentáveis, visando o desenvolvimento social, econômico, cultural e ambiental através da implantação de conceitos, práticas e ferramentas de sustentabilidade na gestão pública local.

Objetivos específicos:
·   Promover a reflexão crítica acerca da relação entre os seres humanos e a natureza, problematizando o contrato natural e seus limites e os desafios na sociedade pós-moderna.
·   Analisar os problemas sociais, econômicos, culturais e ambientais vivenciados pelas  cidades brasileiras, destacando os desafios da gestão pública decorrentes dos padrões de produção e consumo da população em geral e das mudanças climáticas.
·   Divulgar os conceitos de sustentabilidade (verdes), sistematizando práticas e ferramentas na gestão pública local e para o desenvolvimento de cidades sustentáveis.
·   Documentar o seminário em mídia (dvd, fotos, relatório em pdf), com vistas à difusão dos relatos, das experiências apresentadas nos painéis e dos debates nas plenárias.

Programação:

9h30min
Credenciamento e retirada de materiais
10h
Abertura dos trabalhos – Marivaine Alencastro, presidente estadual do PV
10h30min
Políticas públicas verdes: um caminho para a sustentabilidade – Mara Pohlmann, pedagoga envolvida com as questões ambientais, as políticas públicas verdes e a causa indígena
14h
Eleições municipais 2012: campanha e prestação de contas – professor Marcos Monteiro, secretário estadual de Organização do PV     
14h45min
Coffee-Break
15h
Sustentabilidade – O que significa economia verde? - Filipe de Oliveira, professor de Física, engenheiro, fundador do Grupo Educacional Unificado, ambientalista e urbanista
Exibição do filme A história das coisas

Responsável: Marivaine Alencastro, presidente estadual do PV
Telefones: (51) 3085-2109  ou 9844-0559

Inscrições e informações: Sônia Zanchetta, secretária estadual de Comunicação do PV
Tefefones: (51) 3041-15.27 ou 9116.9040


PV Xangrilá


Caros amigos e partidários
Dia de 30 junho, sábado próximo, estaremos reunidos para a convenção do PV Xangri-Lá.
Convidamos todos aqueles que amam nossa praia e nossa cidade, para confraternizar conosco e escolher nossos representantes na eleição de outubro.
Dia 30 de junho, as 13hs, no Papas, Avenida Central de Atlântida.
Att

Krishna Casaccia Soares
Presidente do PV Xangri-Lá

segunda-feira, 25 de junho de 2012

PARTIDO VERDE DE ARROIO GRANDE RS


O Presidente da Comissão Municipal do Partido Verde de ARROIO GRANDE/ RS, conforme inciso II do art. 65 do Estatuto, convoca seus convencionais para participar da Convenção, nos termos dos arts. 54, 55 e 106 do Estatuto, a realizar-se no dia 28 de junho de 2012, na sua sede municipal situada na rua Dr. Monteiro, nº448, das 19h às 21h, nesta cidade para deliberar sobre as seguintes Ordens do Dia:
1.   escolher os candidatos a Prefeito, Vice-Prefeito e Vereadores;
2.   decidir sobre as coligações municipais, dentro dos princípios programáticos do Partido;
3.   deliberar sobre outros assuntos pertinentes às eleições municipais de 2012.

Arroio Grande, 20 de junho de 2012.





Sidney Jesus Mattos Bretanha
Presidente

quarta-feira, 20 de junho de 2012

CONVENÇÃO MUNICIPAL DO PARTIDO VERDE DE PELOTAS/RS


RETIFICAÇÃO

O local da convenção do Partido Verde sofreu uma retificação: a onde se lê Rua Andrade Neves 2282, a redação correta é Rua XV  de Novembro 207, Plenarinho da  Câmara Municipal de Pelotas.
Os demais itens continuam inalterados.

Paulo Cesar Gonçalves
Presidente do PV 



O Presidente da Comissão Municipal do Partido Verde de Pelotas/ RS, conforme inciso II do art. 65 do Estatuto, convoca seus convencionais para participar da Convenção, nos termos dos arts. 54, 55 e 106 do Estatuto, a realizar-se no dia 30 de junho de 2012, situado na Rua Andrade Neves, nº 2282, das 14h às 16h, nesta cidade para deliberar sobre as seguintes Ordens do Dia:
1.    escolher os candidatos a Prefeito, Vice-Prefeito e Vereador;
2.    decidir sobre as coligações municipais, dentro dos princípios programáticos do Partido;
3.    deliberar sobre outros assuntos pertinentes às eleições municipais de 2012.

Pelotas, 20  de junho  de 2012.





Paulo Cesar Gonçalves
Presidente

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Seminário Cidades Sustentáveis: o Desafio do Século XXI

Amigos, o evento foi transferido. A princípio, será dia 01 de julho, em Porto Alegre, e 17 de junho, em Santa Maria. 


Seminário Cidades Sustentáveis: o Desafio do Século XXI

Data: Domingo, 17 de junho de 2012
Local: Câmara de Vereadores de Santa Maria

Público-alvo: membros das executivas municipais, pré-candidatos e outros filiados do PV na região

Objetivo geral:
·        Promover a mobilização e a sensibilização dos diversos segmentos da sociedade na construção de cidades sustentáveis, visando o desenvolvimento social, econômico, cultural e ambiental através da implantação de conceitos, práticas e ferramentas de sustentabilidade na gestão pública local.

Objetivos específicos:
·        Promover a reflexão crítica acerca da relação entre os seres humanos e a natureza, problematizando o contrato natural e seus limites e os desafios na sociedade pós-moderna.
·        Analisar os problemas sociais, econômicos, culturais e ambientais vivenciados pelascidades brasileiras, destacando os desafios da gestão pública decorrentes dos padrões de produção e consumo da população em geral e das mudanças climáticas.
·        Divulgar os conceitos de sustentabilidade (verdes), sistematizando práticas e ferramentas na gestão pública local e para o desenvolvimento de cidades sustentáveis.
·        Documentar o seminário em mídia (dvd, fotos, relatório em pdf), com vistas à difusão dos relatos, das experiências apresentadas nos painéis e dos debates nas plenárias.

Programação:

9h30min
Credenciamento e retirada de materiais pelos participantes
10h
Abertura dos trabalhos – Marivaine Alencastro, presidente da Executiva do PV-RS
10h30min
Exibição do filme Os verdes no Brasil
11h

1.      Cidades sustentáveis - José Paulo Tóffano, secretário nacional de Formação Política do PV, e Taciana Amorim, presidente da Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente – Anamma/Alagoas, secretária de Meio Ambiente e Presidente do PV em Barra de São Miguel (AL), advogada, consultora ambiental e membro titular no Ministério do Meio Ambiente sobre a questão dos manguezais

14h
Eleições municipais 2012: escolha e registro de candidaturas e prestação de contas da arrecadação e gastos da campanha eleitoral - Marcos Monteiro, secretário estadual de Organização do PV
14h45min
Coffee-Break
15h
Marketing Eleitoral - José Paulo Tóffano, secretário nacional de Formação Política do PV
15h45min
Propaganda eleitoral e condutas ilícitas em campanha eleitoral – Marcos Monteiro, secretário estadual de Organização do PV


Responsável: Marivaine Alencastro, Pres. Estadual – PV/RS
E-mail: maripv43@gmail.com- Telefones: (51) 3085-2109 / (51) 9844-0559

Colaboração:Luiz Henrique Rangel de Figueiredo – Pres. Executiva de Santa Maria
E-mail:Figueiredo.luiz@bol.com.br - Telefones: (55) 9922-3237

Informações e inscrições: agoraproducao@gmail.com

terça-feira, 29 de maio de 2012

PV emite nota sobre Vetos ao Código Florestal


NOTA DA BANCADA DO PARTIDO VERDE

SOBRE OS VETOS AO CÓDIGO FLORESTAL APÓS A PUBLICAÇÃO DA LEI 12.651/2012 E À EDIÇÃO DA MP 571/2012

Nos termos dos diplomas legais publicados na data de hoje, tanto a Lei Nº 12.651/2012 quanto a Medida Provisória Nº 571/2012, verifica-se uma substancial modificação nos termos do texto aprovado, em última instância, pela Câmara dos Deputados, referente ao Projeto de Lei do Código Florestal.

Inicialmente, recuperaram-se os princípios e objetivos do Código Florestal, dentre eles o reconhecimento das florestas existentes no território nacional e demais formas de vegetação nativa como bens de interesse comum a todos os habitantes do País e a afirmação do compromisso soberano do Brasil com a preservação das suas florestas e demais formas de vegetação nativa, da biodiversidade, do solo e dos recursos hídricos, e com a integridade do sistema climático, para o bem-estar das gerações presentes e futuras;

A Medida Provisória Nº 571 definiu no tempo e no espaço o que vem a ser a prática agronômica de pousio, conferindo, também, neste caso, maior segurança jurídica e evitando-se que áreas em estágios iniciais de regeneração, como no caso da Mata Atlântica, pudessem ser consideradas como consolidadas e, portanto, passíveis de utilização.

As várzeas, apicuns e salgados são resgatados como áreas de preservação permanente, evidenciando a importância da associação com o ecossistema mangue, que assim passam a ser, também, protegidos. Ao mesmo tempo em que propicia ao Brasil cumprir os compromissos assumidos nas Convenções Internacionais, que tratam da proteção dos sistemas úmidos. Nos preocupa, contudo, a redação dada pelo art. 11-A, no seu § 1º, que mesmo estabelecendo critérios, continua a permitir o desenvolvimento da atividade de carcinicultura em apicuns e salgados,
No que diz respeito a definição da largura da faixa de passagem de inundação, em áreas urbanas e regiões metropolitanas, bem como das áreas de preservação permanente, serem estabelecidas pelos planos diretores e leis, o veto resgata a necessidade de observância dos critérios mínimos de proteção, voltados, principalmente, para a prevenção aos inúmeros acidentes ambientais que, a cada início de ano, assolam o nosso país, na forma de inundações e desmoronamentos. Também clarifica as regras em consonância com o disposto na Lei Complementar Nº 140/2011.

No que tange ao Plano Ambiental de Conservação e Uso do Entorno de Reservatório Artificial, o veto valoriza a participação de importantes colegiados, a exemplo do CONAMA, na definição de tais temas, conferindo maior legitimidade e segurança em todo o processo. Obviamente com ganhos ambientais.
O veto ao artigo 43, por sua vez, diminui a proteção ambiental, uma vez que, as concessionárias de Energia Elétrica e de Abastecimento de Água, usualmente, detêm concessões quase que eternas para a exploração desses serviços. Entendemos ser razoável que as mesmas também participem da recuperação e da manutenção de vegetação nativa em Áreas de Preservação Permanente existentes na bacia hidrográfica em que ocorrer a exploração, pois são beneficiárias diretas desses recursos ambientais, até mesmo na perspectiva do interesse público de que este serviço não venha a faltar ou ser prestado com uma qualidade não adequada para a população. O veto, neste caso, diminui a proteção ambiental.
Ao exigir, nos termos do artigo 61-A da Medida Provisória Nº 571/2012, a recomposição das respectivas faixas marginais para todos os imóveis rurais desmatados até 22 de julho de 2008, garante-se maior segurança jurídica a tal fato, uma vez que o artigo vetado previa apenas e claramente a recuperação ao longo dos cursos d’água de largura de até 10 metros, independentemente do tamanho da propriedade, com faixas pré-estabelecidas de 15 metros, ficando omisso para os rios com largura acima de 10 (dez) metros.

A redação proposta na Medida Provisória trata as propriedades com até 10 (dez) módulos fiscais, que representam cerca de 90% (noventa por cento) das propriedades do Brasil e que ocupam apenas 24% (vinte e quatro por cento) da área total agrícola, sendo responsável por 70% (setenta por cento) da produção de alimentos, de forma diferenciada, sendo que para até 4 (quatro) módulos a recomposição se dará em, no máximo, 20% (vinte por cento) da propriedade.

As faixas previstas variam de 5 (cinco) a 15 (quinze) metros para os imóveis de até 4 (quatro) módulos.
Para os imóveis entre 4 (quatro) e 10 (dez) módulos, a faixa será de 20 (vinte) metros para rios com até 10 (dez) metros de largura e de 30 (trinta) a 100 (cem) metros para rios com largura acima de 10 metros.

Para as demais propriedades, acima de 10 módulos, para rios com até 10 metros, a recuperação será de 30 metros e de 30 a 100 metros para os rios com largura acima de 10 metros. Nestes dois casos, a recuperação será integral.

De uma forma geral, a definição das faixas é positiva, pois diminui a insegurança jurídica e garante, mesmo em patamares ainda não ideais, que a recomposição dessas áreas de preservação permanente aconteça. Por outro lado, a redação dada ao caput do artigo 61-A, no âmbito da MP 571, consolida todas as atividades agrossilvipastoris de ecoturismo e turismo rural, estabelecidas nas propriedades até 22 de julho de 2008. Continua neste dispositivo a mesma anistia com a utilização da mesma data, a qual, no nosso entendimento, deveria ser 21 de setembro de 1999, data do primeiro Decreto regulamentador da Lei de Crimes Ambientais.

Finalizando, entendemos que as premissas e princípios adotados na definição dos vetos e na edição da Medida Provisória nº 571, de 2012, recuperam, em parte, as preocupações ambientais apontadas pelo Partido Verde, por ocasião da discussão da matéria no Congresso Nacional, principalmente, no que diz respeito à manutenção dos institutos da Área de Preservação Permanente e da Reserva Legal, e da obrigatoriedade de sua recomposição, mesmo que de forma parcial. Melhor seria o veto total ao Projeto de Lei nº 1876 de 1999.

Brasília, 28 de maio de 2012.

BANCADA DO PARTIDO VERDE

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Verde Cristiano Moraes na Campanha pelo Veto do Código Florestal


Em Canoas o verde Cristiano Moraes reuniu os simpatizantes da causa verde pelo Veto do Código Florestal no centro da cidade nesta quarta-feira as 19h deste dia 23 de maio de 2012. Com certeza os filhos destas pessoas se orgulharão de seus pais em um dia que lutaram pelas presentes e futuras gerações em um ato de luta pela defesa dos recursos naturais do nosso Brasil. Veta Dilma! é um movimento que sugere a presidenta vetar mudanças no código florestal em que prevê redução de áreas naturais e anistia a desmatadores da natureza.

Em Alvorada Jorge Ruas é pré-candidato a prefeito


O verde Jorge Ruas que também já concorreu a deputado federal é o pré- candidato a prefeito de Alvorada. Ruas está preparado para apresentar propostas de sustentabilidade em seu programa de governo. A cidade de "Alvorada merece maior qualidade de vida, a saúde, segurança, emprego, educação são todos elementos do meio ambiente que queremos melhorado em nosso município. Estou preparado para ajudar minha comunidade." Afirma Jorge Ruas

Partido Verde se fez presente na Feira da Rosca, Nata e Mel neste final de semana em Ivoti.





O que está em jogo com a mudança do código florestal?
- A mudança do novo código florestal prevê a redução de 80% para 50% de Reserva Legal em área de floresta e de 35% para 20 % em área de cerrado na Amazônia legal.
- Anistia aos crimes ambientais, criminosos perdoados livres para mais e mais devastar nossas florestas.
- Novo código florestal pode ampliar chance de eventos climáticos como os deslizamentos em SC, RJ e secas no RS.- 13 dos 18 deputados que aprovaram o novo código florestal na comissão do congresso receberam cerca de R$6,5 milhões doados por empresas do agronegócio para suas campanhas eleitorais.
- O novo código favorece os grandes empresários do agronegócio e prejudica os pequenos produtores rurais.
- Redução e descaracterização de APPs ( áreas de preservação permanente).
                Desde a proposição de alteração do código florestal diversas organizações da sociedade, como ONGS ambientais, movimentos sociais, entidades estudantis, sindicatos até cientistas, políticos e pessoas ilustres tem manifestado seu descontentamento, porém os interesses econômicos continuam falando mais alto.

                     Partido Verde Ivoti em defesa de nossa vida e das futuras gerações!
                                         Demonstre você também sua insatisfação!
                  Assine a petição online http://www.avaaz.org/po/brasil_veta_dilma/ 

Com este texto, folheto e faixa nas mãos o Partido Verde se fez presente na Feira da Rosca, Nata e Mel neste final de semana em Ivoti. Cabe lembrar a presidenta Dilma tem prazo até 25 de maio para vetar ou aprovar o Novo Código Florestal!

Abraço, Luize Sehn

Monteiro é pré candidato do PV a prefeito de Gravataí


O PV de Gravataí depois de ser protagonista das mudanças na prefeitura local que culminou com saída da prefeita, ensaia com a possibilidade da pré candidatura de Marcos Monteiro para prefeito. O PV que começou com o Vereador Ricardo Canabarro hoje conta com mais dois vereadores na sigla na cidade que migraram de outros partidos e também ampliou os seus filiados. A sigla local será colocada a prova com a possibilidade de ter seu prefeito verde na região metropolitana.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Porto Alegre já tem Vereador do PV



O Vereador Elias Vidal é primeiro Vereador Verde de Porto Alegre, em ato solene de filiação, ocorrido na manhã de quinta-feira (10/05/2012), o Vereador Elias Vidal assinou ficha de filiação no Partido Verde e na tarde de quinta-feira fez o seu primeiro discurso representando a sigla dos verdes. Elias Vidal estava sem partido politico, saiu do PPS.

domingo, 6 de maio de 2012

Palestra a Dívida Ecológica com Professor Philomena




O oceanógrafo e doutor em ecologia Antonio Philomena palestrou neste sábado (05) durante atividade do Partido Verde de Campo Bom.  Philomena chama a atenção sobre a exploração dos bancos internacionais que cobram do Brasil um dos maiores juros do mundo, com isso endividando gerações do ponto de vista monetário. Os juros em percentuais astronômicos que levam a riqueza do país, que comparados com investimentos em áreas como segurança, saúde, educação, habitação, ciência /tecnologia e outros campos são percentuais que na maioria não passam de 1%. Esta é a dívida que podemos até mensurar, mas a causada com este mesmo dinheiro que financiam obras como por exemplo a Hidroelétrica de Belo Monte que causa um grande impacto ambiental na Amazônia, associadas as diversas ações de degradação pelo Brasil. E ainda a de interesse essencialmente ruralista por trás das mudanças propostas neste novo código florestal causará a maior das dívidas, a ecologica. Estas são as dívidas, que infelizmente pagaremos com nossa biodiversidade, das riquezas naturais e muitas vidas!
Nosso maior desafio é ampliar os índices de pessoas com a consciência da importância das questões com meio ambiente, que é de 6%.

Marco Santos Mikonga

sexta-feira, 4 de maio de 2012

PV oficializa apoio a PT em Porto Alegre e sugere vices para Villaverde



O PV oficializou na noite desta quinta-feira (3) o apoio ao candidato petista à prefeitura de Porto Alegre, Adão Villaverde. O acordo ocorreu após uma série de negociações que envolveram diversas lideranças estaduais e nacionais dos dois partidos. Os verdes chegaram a estar bem próximos do palanque do prefeito José Fortunati (PDT), que tenta a reeleição, mas optaram pelo PT graças a dois fatores: a possibilidade de conseguirem a vaga de vice na chapa majoritária e o espaço obtido no governo estadual comandado por Tarso Genro.
Leia mais:
– “Estamos com Villaverde em Porto Alegre”, anuncia dirigente do PV
O secretário-geral do PV gaúcho, Cláudio Ávila, será o novo secretário estadual adjunto de Planejamento – pasta ocupada pelo petista João Motta. Ávila era o titular da Secretaria de Captação de Recursos de Gravataí, cidade governada pelo PMDB desde novembro do ano passado, quando a então prefeita Rita Sanco (PT) teve o mandato cassado pelo Legislativo local. Cláudio Ávila foi, inclusive, advogado no processo de impeachment que o PV moveu contra a petista na cidade.
“Escolhemos o critério do maior espaço para pautar as eleições com o desenvolvimento sustentável”, explica o secretário-geral dos verdes. Ele garante que o episódio em Gravataí não prejudicará a relação entre os dois partidos na Capital. “As pessoas do governador e do Villaverde se sobrepõem a qualquer diferença partidária”, assegura.
Além de reivindicarem o cargo de vice-prefeito na chapa petista, os verdes desejam a titularidade da Secretaria do Meio Ambiente. Em âmbito estadual, o PV deve coordenar a agenda gaúcha para a conferência Rio +20.
PV apresenta nomes para a vaga de vice-prefeito
O PV apresentou vários nomes para comporem a aliança majoritária com Adão Villaverde, como o presidente do diretório porto-alegrense, Giovani Carminatti, o vocalista da banda Chimarruts, Rafael Machado, e o ex-candidato ao Palácio Piratini, Montserrat Martins.
Cautelosos, os dirigentes petistas afirmam que veem com bons olhos os militantes escalados pelo PV, mas alertam que a vaga de vice só será decidida quando outros aliados se somarem à candidatura. “Temos que esperar para compor isso com os demais partidos”, avisa o coordenador da campanha de Villaverde, Gerson Almeida (PT).
Vocalista da banda Chimarruts (centro) é cotado para ser vice de Villaverde | Foto: Ramiro Furquim/Sul2
Durante o ato político desta quinta-feira (3), os verdes deixaram claro que não deixarão de reivindicar a posição de vice na chapa petista. Nelson Vasconcellos, que abriu mão de se lançar ao Paço Municipal em nome da coligação com o PT, disse que não tomaria essa atitude sem que a presença do partido estivesse garantida na aliança majoritária. “Eu não poderia aceitar uma campanha em que o PV não estivesse na majoritária”, defendeu.
Citado pelos dirigentes verdes como um possível candidato a vice-prefeito, o cantor Rafael Machado circulou com tranquilidade pelo ato político e foi bastante assediado pelos fãs, que a todo momento o interrompiam para tirar fotos. Em conversas paralelas com correligionários, ele admitiu que não participa muito da vida partidária. “Sou filiado, mas estou aqui mais como cidadão. Não participo muito da vida do partido”, admitiu.
Além do PV, Villaverde deve atrair para o seu palanque o PPL e o PRB. O pré-candidato já teria convidado o deputado estadual Carlos Gomes (PRB) para ser seu vice na disputa eleitoral. José Fortunati já tem o apoio do PTB garantido e deve contar, ainda, com o PMDB. A deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB) costurou uma aliança com o PSB e com o PSD e busca o apoio do PP.
Votação do Código Florestal contribuiu para unir os dois partidos
A votação do novo Código Florestal na Câmara dos Deputados contribuiu para colocar PV e PT do mesmo lado na disputa eleitoral por Porto Alegre. Ambas as bancadas se posicionaram contra o relatório do deputado federal Paulo Piau (PMDB-MG) e a favor do substitutivo aprovado pelo Senado. Esse fator teria afastado uma aliança com a deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB), devido ao comportamento do comunista Aldo Rebelo – hoje ministro do Esporte – que foi relator da reforma da legislação ambiental brasileira.
Cláudio Ávila será o novo adjunto na Secretaria 
Outro fator bastante lembrado durante o ato político de quinta-feira (3) foi a parceria que PT e PV mantiveram durante os 16 anos em que a Frente Popular governou a Capital gaúcha. “Essa aliança se dá pelo conteúdo, pelas ideias e pelo ponto de vista programático”, exaltou o pré-candidato Adão Villaverde.
Ele garantiu que irá defender uma plataforma pautada pelo desenvolvimento sustentável e elogiou os nomes apresentados pelo PV para comporem a chapa majoritária. “São nomes da mais alta estatura, qualificação e capacidade de representação”, considerou.

Fonte http://sul21.com.br

quarta-feira, 2 de maio de 2012

PARTIDO VERDE DE SANTA MARIA DEFINE PRÉ- CANDIDATURA A PREFEITURA


O Partido Verde, PV de Santa Maria, pela sua Direção Executiva Municipal, torna público  suas considerações sobre o momento que vive a política local, em particular o nobre desejo de candidatura própria do PV para a Prefeitura de Santa Maria, expressa na pré-candidatura do companheiro LAURINDO LORENZI, concomitante com o papel que desempenha a administração Schirmer/Farret em nosso município.
* O PV se prepara para participar pela primeira vez de um pleito municipal em Santa Maria. Um pré-candidato a Prefeito acompanhado de vários pré-candidatos a Vereador foram lançados, em busca da adoção pelo município, das políticas ecológicas e de um desenvolvimento auto-sustentável para a cidade;
* A busca que fazemos, além das inúmeras dificuldades de um partido ainda pequeno e, em fase inicial de estruturação, encontra a Administração Municipal constituída pela dupla,  Cezar Schirmer/José Farret – apresentando - para um período curto de presença na Prefeitura, um belo trabalho de gestão administrativa, dentro de um enorme leque de iniciativas inovadoras, apontando o desenvolvimento da cidade e bela visão de futuro;
* O PV não é partidário da crítica pela crítica, nem trabalha no interesse individual personalista ou de grupo, e sim, na busca dos melhores caminhos para o desenvolvimento da cidade. Este princípio basilar para ancorar a boa conduta política, faz com que o partido reavalie sobre o melhor momento de uma candidatura própria à Prefeitura e decida pela concentração de suas forças na procura pela  representação legislativa como primeiro passo de sua construção;
* Vimos com muito orgulho e simpatia, a disposição do companheiro Laurindo Lorenzi, trazendo para si a tarefa mais pesada da atividade eleitoral. Com a presente decisão, o conclamamos para se somar, com a mesma disposição, aos demais companheiros da nominata de pré-candidatos a Vereador, em nome da unidade das forças que produzem mudança  positiva em Santa Maria e em nome da eleição da primeira bancada de representação verde na cidade.
Santa Maria, 1º de maio de 2012



Luiz Henrique Figueiredo
Presidente do PV – Santa Maria RS